sexta-feira, 11 de janeiro de 2013

O riso de Sarah!


                          
                    A mulher de Abraão ainda não conhecia a força de seu Deus.

O riso de Sarah não foi um riso de incredulidade. Se fosse assim, talvez Deus a teria calado por um tempo. O riso de Sarah não foi um ato de deboche diante da promessa de vitória. Se fosse assim, penso que Deus a teria matado como fez com o homem a porta de Samaria.O riso de Sarah não foi um riso de ironia. Se fosse assim, quem sabe, Deus não a teria deixado estéril para sempre. Sarah não era incrédula como Zacarias, pai de João Batista e nem irônica, mordaz como Mical, filha de Saul, esposa do Rei Davi. Ela só não esperava mais e por isso, riu.

Mas o Senhor disse a Abraão: "Porque Sara riu e disse: ‘Poderei realmente dar à luz, agora que sou idosa?
Existe alguma coisa impossível para o Senhor? Na primavera voltarei a você, e Sara terá um filho".
Sara teve medo, e por isso mentiu: "Eu não ri". Mas ele disse: "Não negue, você riu".


Sarah riu porque ter um filho era um sonho que ela não sonhava mais. Estava escondido num cantinho do coração. Sabe aqueles sonhos que a gente vai levando com a vida e deixam de ser sonhados e você nem espera mais por eles? Pois é, era assim que Sarah estava naquele dia que recebeu a visita de Deus em sua casa. Sarah, não tinha mais esperança! Era velha demais! Seu tempo tinha passado. Ela sabia que Deus pudia, Ele só não queira e se Ele não queria estava tudo bem. 
Ali, escondida atrás da tenda, Sarah riu sim. Riu um riso que na verdade queria dizer: "Olha não precisa mais prometer. Essa promessa eu não espero mais. Pode levantar uma outra mãe para Israel." Ela riu quando olhou para o seu corpo já vencido pelos os anos. Um riso conformado de quem não tinha mais tempo para viver um sonho que tinha data marcada para acontecer. Deus tinha chegado atrasado. Foi na verdade um riso triste.
Só que Sarah ainda não conhecia a força de seu Deus. Ele era o Deus do impossível e aquela mulher casada com o pai da fé não sabia disso! Deus viu Sarah sorrindo atrás da tenda, mas Ele viu mais. Viu o sentimento de frustração... Viu o conformismo... Viu a tristeza disfarçada pelo riso... Viu a desesperança...
O Deus que Sarah só conhecia de ouvir falar não falha e nem tarda em suas promessas. Isaac, o filho do riso, nasceu no tempo de Deus e não no tempo dos homens! Sarah agora ria o riso da alegria! E disse Sara: Deus me tem feito riso; todo aquele que o ouvir se rirá comigo. 



Nenhum comentário:

Postar um comentário