segunda-feira, 12 de novembro de 2012

Traição


Não dá mais para olhar naqueles olhos e confiar nas  cores que emanam deles.

Aquele seria um dia difícil, mas ela não sabia disso. A notícia chegaria para despedaçar de vez o seu coração já desconfiado. Um amigo, um inimigo traria a revelação no meio da rua. A flecha lançada seria mortal. As lágrimas seriam inevitáveis e se misturariam com a água da chuva.  A ferida produziria uma cicatriz que sempre sangraria. Tinha certeza disso! 

Agradeceu a Deus. Ainda bem que chovia. Podia assim esconder a dor. As pessoas que passavam por ali não veriam as lágrimas, veriam a chuva que embora fina e constante, dentro dela, despencava como uma tempestade.  
Traição dói. Não importa de onde vem. De um inimigo não assusta, apenas fere levemente. Nem fica cicatriz. Quando vem daquele que sempre busca abrigo e aconchego nos seus braços... Aí não tem jeito! A ferida é ferrenha, quase mortal. Só mesmo uma grande alma pode escapar e sair ilesa.  
A confiança foi embora e como um vaso quebrado não tem recuperação. Não dá mais para olhar naqueles olhos e confiar nas  cores que emanam deles. A boca pode até falar muito, entretanto não enche o coração. Até as mãos parecem que mentem. Um quadro doloroso de se olhar! 
Penso em Jesus que sem merecer foi traído. Orou muito e de joelhos. Tão forte que suou sangue. Sabia o que o esperava.  Seria traído com um beijo dado por um amigo íntimo. Seria abandonado por quem amava, pelos companheiros de uma jornada de três anos. Viria a traição daqueles que se diziam amigos. Ficaria só! Mas, lá na cruz, perdoaria quem não merecia perdão... Entregaria o seu sangue pelos seus amigos e também pelos seus inimigos.
Podemos aprender com Jesus. Se o Rei dos reis perdoou, por que não posso perdoar?  Ele que não era merecedor de tal afronta perdoou,  se deu por inteiro, imagina eu, uma pecadora? Posso e devo perdoar. Ainda que machuque, ainda que o meu traidor não mereça... Devo perdoar!
Jesus tem por mim e por você um amor incondicional. Todo dia, Ele  perdoa as nossas traições. Precisamos imitá-lo.  Obrigada Jesus! 

                                    

Nenhum comentário:

Postar um comentário