quinta-feira, 11 de outubro de 2012

No sofrimento, em meio as lágrimas, não murmure!



Guardou Deus numa caixa para usar em momentos de apertos, de dores. 

Existem pessoas que ficam anos vivendo e nem se lembram da existência de Deus, do Deus Eterno, que tudo pode, que tudo é. Elas simplesmente seguem vivendo. Vivendo por viver. Conquistam bens, se casam, enchem a casa de filhos e se consideram felizes. Um belo dia, o destino muda e como em dias de vendavais, elas sofrem em um tempo ruim, o que não sofreram em 40 anos. Lembra de Moisés? Os primeiros quarenta anos vivendo como um príncipe. Mais ou menos assim.
Em 40 anos, agradeceram a Deus algumas vezes, é lógico. Na virada do ano, estavam lá dando pulinhos na beira da praia. Não estou falando de ateus. Estou falando de gente que foi criada cercada de tradições e culturas banais e as aceitou. Construiu a sua casa na areia e agora sofre as consequências. O tempo ruim chegou causando destruição e simplesmente não sabe o que fazer. Descobre que não confia nos deuses que lhe foram impostos. O coração, a alma, o espírito sabem, que são ídolos de barro e essas pessoas não conseguem orar a eles. A língua, a boca parece que congelaram. As rezas saem automaticamente, mas não funcionam.
Ver a casa no chão, ver tudo desolado, sentir a falta de amor acabam com elas e não aguentando mais murmuram: "O que foi que eu fiz para Deus me tratar assim? O que Deus quer com isso? O que espera de mim? Eu sou uma pessoa boa, ajudo ao próximo. Sou o primeiro a me levantar na hora das ofertas. Por que Deus fez isso comigo? Nunca fiz mal a ninguém." E por aí vai...
Quando olho para a vida de Jó não aceito o que fazem essas pessoas que descrevo acima. Jó passou por muito mais e sendo fiel a Deus. Como pode alguém que nem é fiel se achar no direito de questionar ao Pai, Todo Poderoso? Como pode a criatura questionar o criador? Como pode alguém que sempre desprezou Deus questioná-lo? Alguém que nunca entregou verdadeiramente seus caminhos ao Senhor, agora murmurar? 
Quando foi casar não perguntou ao Senhor se aquele era o marido, a mulher certa? Quando foi comprar a casa que mora, também nem se lembrou do Pai. O carro novo, nem pensar em falar com Deus sobre ele. Já sabia o que queria. É um sonho que se realiza. Eram tempos felizes! Não precisava da ajuda de Deus. Guardou Deus numa caixa para usar em momentos de apertos, de dores. Esquece que Deus não é uma máquina que você põe uma moeda e cai uma coca-cola. Deus é Pai! Quer ser amado! Ele se importa com os pequenos detalhes da nossa vida. Quer participar. Quer nos dirigir porque Ele conhece o amanhã. Sabe se no futuro teremos problemas com aquela casa nova ou com aquele carro. Conhece o coração, o caráter daquela pessoa que escolhemos para passar ao nosso lado o resto de nossas vidas.
Temos que aprender com Jó. A viver como ele viveu. No tempo da fartura sempre prestando culto e honrando ao Deus Todo Poderoso e sem mudar no tempo da dor. Aprenda com Jó, no sofrimento, em meio as lágrimas, não murmure! Precisamos entender que se andarmos com Ele não existirá perda nenhuma. Sempre falo isso aqui. Com Jesus, a vitória é certa. O paraíso nos espera!

Um comentário: