quinta-feira, 30 de junho de 2011

O que precisa ser dito!

   

Tenho aprendido na minha caminhada cristã que não posso ter compromisso com religiões que mandam as pessoas para o inferno. Por isso, quando necessário, darei nomes sim. O meu compromisso é com Jesus! Só com Ele e com a verdade anunciada por Ele.
   Embora muitas vezes, a religião atrapalhe o nosso crescimento espiritual, entendo que para alcançarmos os altos lugares precisamos da ajuda dela, mas que seja uma religião praticada por uma igreja séria e com líderes comprometidos com o evangelho, com a Palavra de Deus. Ah, e é bom que não confundamos religião com religiosidade. A religião correta nos aproxima de Deus. A religiosidade nos afasta Dele.
Subindo a montanha, necessitamos de um pastor que cuide de nós  e ainda do apoio dos nossos irmãos em Cristo. É melhor serem dois do que um, não é verdade? Sem jejuns e orações corporativos não chegaremos no topo do monte. Portanto, o cristão sábio compreende a importância de se frequentar uma igreja e ter um pastor como cobertura espiritual. Mas, em que igreja devo estar? Debaixo de qual cobertura? São perguntas fáceis de responder, se olharmos para a Palavra de Deus.

terça-feira, 21 de junho de 2011

Temos que ser sal da terra!

  

 Os últimos dias estão aí e urge chegar ao topo da   montanha para encontrar Deus. A palavra do Senhor nos alerta sobre a apostasia e também sobre a importância de ficarmos atentos, vigiando a volta do Senhor Jesus. Tenho observado que fazemos pouco, muito pouco, ou melhor, quase nada. Satanás, pelo contrário, tem mobilizado  e capacitado  seus filhos para  esta última hora. Afinal, ele sabe que pouco tempo lhe resta. 
   Precisamos orar a Deus para nos capacitar de forma poderosa a ponto de alcançarmos as almas em massa. Temos como filhos de Deus a obrigação de ser sal nesta terra. Ou seja, onde estivermos temos que ser os melhores naquilo que fazemos e com o nosso testemunho pregarmos o evangelho. Mudar o ambiente: de profano para santo. Quando isso não for possível precisamos sacudir a poeira dos nossos pés e sairmos dali.

Moisés: entrega total a Deus

 

 A história de Moisés nos revela que é possível alcançar os altos lugares. A jornada deste homem de Deus por esta terra foi brilhante, de entrega total a Deus. Moisés renunciou ao poder, quando rejeitou o título de príncipe do Egito, renunciou à riqueza que esse cargo lhe oferecia e renunciou à família, pois partiu para o deserto com os hebreus rumo à terra prometida. Numa entrega sem precedentes por duas vezes, passou  quarenta dias ouvindo Deus no Monte Sinai. Sem pão e sem água.Um jejum Real. Quando desceu, um brilho divino na sua face. Ficava difícil olhar em seu rosto e ele precisava usar um véu. Olha aí! Assim, um encontro com Deus nos deixa, com rostos brilhantes. Ou seja, uma face mudada, uma vida transformada. A presença de Deus mudou Moisés. De um assassino ao homem mais manso da terra.

quinta-feira, 16 de junho de 2011

Os patriarcas e os altos lugares

 

A conquista pelos altos lugares não é fácil. Na bíblia temos bons exemplos. Os patriarcas do antigo testamento nos apresentam nas suas histórias a complicada  caminhada rumo à terra prometida, rumo ao lugar seguro, um abrigo debaixo das asas do altíssimo.
   Abraão, o primeiro deles ouviu Deus, confiou Nele e partiu para um destino desconhecido. Seu espírito não aceitou os deuses feitos por mãos de homens. Ele acreditou num Deus maior, rejeitou o que sua tradição lhe vendia e como resultado encontrou o grande Deus verdadeiro. Sem dúvida, em sua época, se tornou  o maior levantador de altares ao Senhor. Sua fé moveu o coração do Pai a tal ponto que foi presenteado se tornando Pai de multidões, de Nações. Seu filho Isaac, o filho da promessa, seguiu seus passos, honrou a Deus e também foi abençoado. Ambos obtiveram a prosperidade financeira e espiritual e cada um a seu modo alcançou um lugar em Deus, mas creio que foi o neto Jacó quem conquistou os altos lugares. Ele entendia a linguagem do Eterno. Viu o céu aberto. Teve um encontro com Deus e sua vida foi mudada. Conquistou um novo nome, tão abençoado que se tornou o nome da nação do povo hebreu: Israel que significa Príncipe de Deus. Dos seus doze filhos, um também entendia a linguagem do Senhor. Seu nome? José, o ramo frutífero... O sonhador...  Por acreditar em Deus foi perseguido pelos irmãos, foi jogado numa cova, se tornou escravo, prisioneiro, mas Deus transformou toda essa maldição em bênção e fez dele governador do Egito.

terça-feira, 7 de junho de 2011

Pés como os da corça nos lugares altos

Olá!!!!!!!!!!


Indico esse livro porque se trata de uma alegoria riquíssima sobre a busca pelos lugares altos. Foi nele que aprendi a importância desse lugar secreto. Grande medrosa é uma personagem que me encanta. Uma menina de boca e  pés tortos que precisa encontrar os altos lugares para se tornar uma princesa linda e perfeita.
O interessante é que no decorrer da história visualizamos nosso passado ou até mesmo nosso presente. Quando Grande Medrosa passa pelo deserto lembramos de quando passamos por este caminho difícil. Descobrimos então, que essa menina cheia de sonhos enfrenta dificuldades, derrotas, temores e vitórias, assim como nós. Em nossa jornada também somos acompanhados por "Tristeza e Sofrimento" e por isso, precisamos de pés como os da Corça para alcançarmos os altos lugares.